TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Primeira mão: Novos casos de esquema "fura-fila" da vacinação no Rio - Editoriais - Band News FM

Saúde

Texto:
+
-

Primeira mão: Novos casos de esquema "fura-fila" da vacinação no Rio

Na listagem, consta nomes de funcionários do HEAL e do gerente de um banco

Por Ryan Lobo, às 21:42 - 27/02/2021

00:00 / 00:00

Secretaria de Estado de Saúde afirma que vai colaborar com as investigações (Foto: Reprodução)

Um documento obtido em primeira mão pela Band mostra uma nova lista de pessoas acusadas de participação do esquema "fura-fila" da vacinação no Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, na Região Metropolitana. Na listagem, há nomes de funcionários da unidade e da organização social que administra o hospital como chefe de gabinete e funcionário do TI, além do gerente de um banco que funciona dentro do local. Nenhum deles fazia parte do grupo prioritário de vacinação.

Na semana passada, uma operação da Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão contra o diretor e uma coordenadora da unidade acusados de articular a imunização dos filhos, de 16 e 20 anos de idade. Rogerio Casemiro e Adriana Morais, que já foram casados, estão afastados dos cargos. Eles eram contratados pela Organização Social Instituto Sócrates Guanaes para exercer os cargos no Hospital Azevedo Lima.

A primeira denúncia foi apresentada pelo Conselho Regional de Enfermagem, que diz que os dois jovens foram vacinados sem fazer parte de grupos prioritários para a imunização. A Polícia encontrou na casa deles os cartões de vacinação, uma prova de que eles tomaram a primeira dose do imunizante.

Em uma avaliação feita pela delegacia durante o fim de semana foram constatadas rasuras nas listagens, o que provocou a suspeita nos investigadores.

Em uma carta enviada ao secretário de Saúde do Rio, Carlos Alberto Chaves, Rogerio Casemiro afirma que estava de férias quando aconteceu o episódio. No entanto, a OS nega.

Ainda no documento, Rogerio Casemiro afirma que não é mais casado com Adriana Morais desde janeiro do ano passado, e que os adolescentes vacinados são filhos apenas dela, de outro relacionamento, e não os filhos do ex-casal.

O secretário de Saúde do estado, Carlos Alberto Chaves, afirma que a pasta vai colaborar com as investigações.

O contrato com a OS venceu nesta quinta-feira, mas foi renovado. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, a prorrogação do contrato é uma alternativa legal prevista ((para ter vigência enquanto o processo de licitação para gestão da unidade está em andamento, sem que haja prejuízo no atendimento à população.

NEWSLETTER
OU